Livros


Minicontos
Marcelo Spalding



Minicontando
Ana Mello

Oficina de Criação Literária

  MINICONTOS EM DESTAQUE

A paz

Ao mensurar as horas, o senhor Tempo observou que a paz não voava mais. Ela apenas caminhava entre o silêncio dos pedestres, faminta por um alimento que nutrisse a alma.
Direitos usurpados e uma paz faminta, ficou a refletir o senhor Tempo, esquecendo-se de contar as horas. (Elaína Cristina Araújo de Maria)

Simulação

Jeison pedia esmolas na cadeira de rodas na igreja. Fora seu ganha-pão por anos.Assim vivia a vida fraudando a boa fé das beatas.Um dia, durante a missa, dormiu e caiu da cadeira. Num gesto reflexo levantou-se rapidamente. Todos os que viram o acontecido, interromperam a missa aos gritos.

- Milagre, milagre! O Jeison foi curado. Louvado seja Deus! (Luis Alberto Saavedra)

A gota d"água

A Mariposa Escolástica boiava com as asas molhadas dentro do balde, embaixo da torneira, onde caíra por acidente.Aguardava pacientemente a ocorrência de fenômeno singular, regido pela lei da gravidade. Aquela gota faria a água transbordar, e quando isso acontecesse tinha esperança de sair daquela prisão.
Depois de horas de espera...aquela gota enfim caiu! (Luis Alberto Saavedra)

Walter Ego

- Não existe nenhum propósito, Walter, um motivo para nós estarmos aqui. A vida é uma mera casualidade, um amontoado de peças que não se encaixam, lutando para se adaptar em um universo caótico. Como planetas solitários, orbitando há centena de quilômetros uns dos outros. E você vem me falar em amor, Walter? Pois o amor não passa de uma reação química gerada pela necessidade de reprodução, um impulso meramente genético.

- Mamãe, o vovô ta chamando o cachorro de Walter de novo.
(Rafael Figueiredo )

Hora do chá


Alice nunca mais voltou ao pais das maravilhas. Passou os dias contando as horas e as horas passaram rápido. O tempo, pregou-lhe rugas ao redor do rosto. E quando finalmente os olhos fecharam e a dor se foi, uma voz rompeu o silêncio: Quer chá?
(Rafael Figueiredo )

Sabedoria

O velho sábio não entendia nada de música, mas seus conselhos eram verdadeiras melodias. (Nilde Serejo)

Segredo

Sempre dizia que sua vida é um livro aberto.

Só que ele escreve em códigos. (Nilde Serejo)

Fantasia

Eles tinham sempre o mesmo nome e o mesmo rosto. Desciam do cavalo, beijavam minha mão e se despediam enquanto eu sangrava minhas primeiras e últimas dores, secretamente. (Eliana Schueler)

Mansplaining

Respirou fundo e entendeu por que o dia da mulher era internacional. De fato acontecia em qualquer outro lugar, menos ali. (Gabriela Seeger)

Ego

Egocêntrico e fiel a si mesmo, João de Barro aprisionou a amada na casa-coração e morreu solitário. (Robério Pereira Barreto)

mais minicontos


Site desenvolvido pela metamorfose agência digital - sites para escritores


 

 

.